NESTA SEMANA

58

Suely Campos determina criação de 28 leitos no HGR

Durante inspeção ao HGR (Hospital Geral de Roraima Rubens de Souza Bento), na manhã desta quinta-feira, 1º, a governadora Suely Campos determinou a implantação de 28 leitos para atender aos pacientes em observação, minimizando consideravelmente a acomodação de macas nos corredores dos blocos. A medida deve ser implantada ainda esta semana.

Em uma vistoria de quase duas horas à unidade, Suely analisou boa parte dos setores e conversou com os pacientes e servidores. A principal reivindicação está ligada à superlotação.

Ela explicou a eles que após um estudo realizado na unidade, determinou o remanejamento de setores administrativos para criação de leitos para a área verde do Trauma, onde ficam os pacientes já estabilizados e em situação menos urgente.

Suely demonstrou preocupação com a superlotação da unidade, agravada pela alta demanda de pacientes venezuelanos. Houve um aumento de 3.532% de atendimento em todas as unidades de saúde do Estado, 1.625% somente no HGR. A unidade, que em janeiro de 2014 atendeu 26 pacientes estrangeiros, recebeu mais de 900 imigrantes, só no mês passado.

“Estamos muito preocupados diante desta superlotação, agravada pela imigração venezuelana. Por isso determinei que sejam criados 28 leitos de retaguarda para dar um suspiro para unidade enquanto concluímos o Hospital de Clínicas, que deve ser inaugurado em aproximadamente um mês”, disse.

Mesmo sem ter recebido uma ampliação considerável desde que foi inaugurada, há 27 anos, a unidade realizou 30% de cirurgias a mais desde 2014, e 27% mais de atendimentos gerais, resultado da melhora do atendimento neste que é o único hospital de referência para média e alta complexidade em Roraima.

Nesses três anos, a governadora Suely investiu em equipamentos para a unidade: foram quase R$ 7 milhões, incluindo a compra de itens como a rouparia hospitalar, que está sendo trocada pela primeira vez em 8 anos.

ANEXO – Perto de completar 26 anos, o HGR recebe sua primeira ampliação, com previsão de conclusão para o primeiro semestre. A nova estrutura vai oferecer à população, mais 120 leitos de internação, 40 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e 10 salas de centro cirúrgico. Com a inauguração da unidade a expectativa é que as filas de espera por cirurgias sejam reduzidas. “Essa é uma obra importante para darmos um salto de qualidade nos serviços ofertados pela saúde do Estado”, observou.

SHARE