MEIO AMBIENTE

45

Em 2017 mais de oito mil pessoas participaram do programa Caerr Socioambiental

O balanço de 2017 do Núcleo de Meio Ambiente (NMA) da Caerr (Companhia de Águas e Esgotos de Roraima), revela que 8.040 pessoas participaram efetivamente nas ações desenvolvidas pela empresa. Só o projeto Caerr nos Rios teve a presença de quase 500 voluntários nesse ano e 4,4 toneladas de resíduos sólidos foram retirados das margens do rio Branco e igarapés.

Palestras, visitações e a execução de várias atividades foram pactuadas como prioritárias dentro do Governo de Roraima e a Companhia vem atuando de forma decisiva nessas ações, atendendo ao chamado da governadora Suely Campos.

“O Caerr Socioambiental propõe mudar a consciência das pessoas em relação ao meio ambiente, tendo como foco principal a sensibilização da sociedade para uso racional da água, despejo correto do óleo de cozinha, preservação de nossos mananciais. Estamos satisfeitos com os resultados positivos alcançados nesse ano”, destacou o presidente da Caerr, Danque Esbell.

BALANÇO – Nos últimos três anos, as atividades do Caerr Socioambiental alcançaram mais de 22 mil pessoas. São seis atividades em curso: Caminhada Ecológica, Caerr nos Rios, Caerr de Olho no Óleo, Caerr Educação Ambiental (palestras educativas e visitação a Estação de Tratamento de Água e de Esgoto), Projeto Bairro Sustentável e Vire a Página – Reúse, todas em andamento.

CAMINHADA ECOLÓGICA: Duas edições marcaram o início das ações ambientais durante os anos de 2016 e 2017. Realizada sempre em janeiro, já recebeu 117 voluntários e recolheu 12,4 kg de lixo do entorno do rio Branco e igarapés de Boa Vista. A próxima Caminhada já tem data marcada para 2018: será no dia 28 de janeiro, abrindo o calendário de ações ambientais da Caerr.

 CAERR NOS RIOS: Implantado em 2015, o programa já atingiu 931 voluntários e já retirou 12,4 toneladas de resíduos sólidos da natureza, tudo recolhido e devidamente encaminhado para as associações de catadores de Boa Vista.

CAERR DE OLHO NO ÓLEO: O programa já arrecadou 5.113 litros de óleo, desde seu lançamento em 2016 e mobilizou centenas de pessoas. Em 2017 foram 2.695 litros arrecadados. “Se essa quantidade fosse lançada na nossa rede de esgoto, entupimentos graves e até vazamentos surgiriam, causando transtornos terríveis, tanto para moradores, quanto o meio ambiente”, afirmou a chefe do NMA, Airlente Carvalho.

PROJETO CAERR EDUCAÇÃO AMBIENTAL: A ação já realizou 224 palestras desde 2015, alcançando 16.000 pessoas, entre crianças e adultos. As palestras foram ministradas em escolas de ensino fundamental, médio e superior, assim como em associações da capital e do interior.

VIRE A PÁGINA, REÚSE: Campanha interna da Caerr, tem a intenção de propor métodos econômicos para o uso de papel na empresa com ideias de consumo consciente buscando mudanças de atitudes a fim de reduzir o consumo e o desperdício do papel e gerar economia. Criada em 2016, mensalmente, as associações de catadores recebem da Companhia todo o papel que não tem mais utilidade dentro dos setores.

 PROJETO BAIRRO SUSTENTÁVEL: Em 2016, o projeto foi iniciado com a intenção de contribuir para a adoção de boas práticas sustentáveis com ênfase na responsabilidade socioambiental e que contemplem as interrelações do meio natural com o social, com vistas a educação ambiental, atividades esportivas, artesanais e a revitalização do bairro São Bento. Foram feitas visitas domiciliares e reconhecimento da área. Na pesquisa realizada pela equipe do Núcleo de Meio Ambiente, entre os meses de novembro e dezembro de 2016, foram aplicados 310 questionários com 28 perguntas relacionadas à moradia, renda familiar, limpeza do bairro, saneamento, qualidade da água, higiene e saúde, e atividades de educação ambiental. Das pessoas entrevistadas, 100% aceitam a iniciativa da CAERR de realizar ações sociais e ambientais na comunidade.

As informações coletadas serão compiladas e servirão de norte para a promoção de política de desenvolvimento sustentável local, que tem como estratégias a promoção de uma vida saudável e a consciência ecológica dos moradores. O São Bento foi o primeiro bairro contemplado com as pesquisas.  O projeto ainda encontra-se em andamento.

SHARE